sexta-feira, junho 19, 2009

O último Nilton

O último suspiro vestindo a capa do meu alter-ego favorito...
Foi um bom ano e meio de labuta baixando o sarrafo na molambada e na playboyzada.
Daqui por diante sigo escrevendo por aqui, neste velho novo espaço.
Sem pressões de tempo, espaço, e principalmente, audiência.
PS: O personagem não morreu, está apenas largado à própria sorte.


Postado por General de uma estrela

Engenhão: o centro do esporte brasileiro no domingo 14/5/2009 23:41:00

Caros Alvinegros,

O domingo já se aproxima e poderemos matar a saudade da nossa casa, o Engenhão. Mas antes de ganhar do chorinthians, vou acordar cedo e rumar para o nosso estádio para ver algumas das maiores estrelas do atletismo mundial, como a nossa campeã olímpica, Maurren Maggi, o panamenho Irving Saladino e o português Nélson Évora, também campeões em Pequim. Aproveitem, até porque o atletismo é de graça e a diretoria finalmente estabeleceu um preço justo para o futebol: R$20.

Só quem tem o melhor e mais moderno estádio da América Latina pode se dar ao luxo de assistir uma grande competição de atletismo pela manhã e um bom jogo de futebol à noite. Por falar nisso, até os torcedores do chorinthians, que é outro clube sem teto, assim como a dupla fra-flor, são bem-vindos e podem ficar tranquilos no setor sul. Espero que o gordinho do marketing não se perca na night e faça sua estreia no Engenhão, para não haver desculpa para a derrota.

Entre um evento e outro, vou almoçar ali pelo Méier e bater um papo com o nosso Magocruel. Os europeus já estão aí oferecendo milhões de euros para levá-lo embora em julho. Isso não é surpresa, mas se esses empresários fossem mesmo espertos, esperariam ele ser o melhor jogador do Brasileiro, como já foi do Carioca, para vendê-lo por um valor muito maior no fim do ano. E também não adianta sair do Glorioso, um dos 12 maiores clubes do século XX, segundo a FIFA, para jogar em um clubezinho inexpressivo qualquer. Vou tentar convencer nosso craque disso, mas já sem muita esperança.

O amigo leitor Juarez Jason lembra muito bem que Émerson Leão está disponível. Atendendo ao desejo dos também alvinegros, Allan Martins e Carlos Casto, acredito que seria a melhor opção neste momento em que estamos desmoralizados graças à mediocridade de Ney Largo. O problema é que ele cobra caro. Então é preciso ver o que pensa a diretoria: Vale a pena investir mais para ter um técnico realmente vencedor? Ou vão continuar com essa economia porca, pagando "pouco" a alguém que não traz títulos e não nos leva a lugar algum?

PS: Antes, no sábado, estarei no Maracanã para receber e apoiar nosso irmão em Santa Catarina, o Avaí. Clube de bela e sofrida história, como a nossa, e que faz sua primeira partida no Rio desde 2003. Amigos avaianos, não tenham medo desse timeco burro-negro: torcida não ganha jogo. Basta dar a bola no pé do Evando que ele resolve!

E ninguém cala esse nosso amor!

Nenhum comentário: