sexta-feira, setembro 05, 2008

Tudo (começa) e acaba em pizza

Quem não é fã da famosa redondinha italiana? Eu gosto muito. Inteira, ou aos muitos pedaços, estou sempre degustando. Salgadas, doces, não importa. Só não costumo comer mesmo as caras.

Um início alegrinho para nada. O assunto deste post de retorno não é dos melhores. Sempre tenho uma dificuldade imensa para encerrar vínculos. Mas dessa vez, mais do que necessário, parece inevitável, como aquele vinho maldito.

O paradoxo é que, de certa forma, tudo começou com pizza. E, apenas simbolicamente, terminou também em pizza. Para usar uma expressão muito na moda, posso dizer que se fechou um ciclo de quatro anos. Poderia ser olímpico, ou até mesmo eleitoral, mas é mesmo pessoal.

Quase quatro anos atrás, tudo começou como sempre começa: bem. Muitas pizzas, perguntas, respostas, olhares, risadas, uma caminhada, um abraço, um beijo... interesse. Aparentemente mútuo, que se confirmaria meses depois. Curiosamente, depois de encerrar outro vínculo.

Depois de tanto tempo, luta, paixão e sorte, como diria o amigo, parece que não sobrou nada. Uma declaração muito desagradável me desanimou de vez no mês passado. No fim, troquei a festa hipócrita do milhão para voltar aos velhos amigos do tostão, que não abandonam nunca.

Muitas pizzas, poucas perguntas, olhares enviesados, alfinetadas. Teimoso e burro, ainda tentei salvar a noite com uma cortês caminhada. Doce ilusão. Para uma pergunta simples e objetiva, uma resposta belicosa. Desisti.

Daí até o fim, silêncio sepulcral. Total ausência de diálogos, exceto os dos sapatos com o chão. Nada de olhares, nem de beijos, nem de abraços. O mais profundo desinteresse, e infelizmente mútuo. Como em um filme, vi quatro anos de amor e dedicação se transformarem em um monte de nada.

Meia hora sem palavras. Nada a dizer. Nesse tempo todo, talvez tenha sido o maior período em que ficamos calados. Tive que fazer uma piada sobre isso. Será que se fossêmos surdos-mudos as discussões teriam sido evitadas? Fui embora balançando a cabeça. A caminhada acabou.