quinta-feira, maio 24, 2007

Um ano, um jogo, uma piranha

Mais de 65 mil pessoas cantando e apoiando. A necessidade de vencer por 2 a 0 ou por três gols de diferença. Um time aguerrido. De nada adiantou. Duas falhas lamentáveis de uma paulista desorientada, ou melhor mal orientada, decretaram o fim da participação do Botafogo na Copa do Brasil 2007.

Zé Roberto começou os trabalhos balançando a rede aos 12 minutos, ao pegar um rebote do goleiro Wilson. No entanto, a auxiliar Ana Paula Oliveira marcou impedimento do meia, absurdamente.

Aos 27 minutos, Vágner cabeceou para o gol e marcou, mas a mesma auxiliar assinalou impedimento de Alex, que estava embaixo da baliza, mas não tocou na bola, nem no goleiro, nem em ninguém.

O Figueirense, que veio com o claro objetivo de perder de pouco e não jogar futebol, fazendo um rodízio de faltas no nosso ataque, saiu para o intervalo com 2 a 0 contra, satisfeito, porque deveria estar levando de quatro.

Cozinharam o segundo tempo inteiro, e fizeram um gol espírita aos 43 num chute de fora da área de Cleiton Xavier, numa falha lamentável do goleiro Julio César, que havia passado o tempo inteiro olhando a partida, sem participar.

No último lance da partida, já aos 48, o zagueiro deles deu um carrinho e fez um gol contra, mas já era tarde. O 3 a 1 era favorável ao time de Santa Catarina, que vai enfrentar o frufru de terceira na final.

Aos trouxas, como eu, que foram ver o jogo, resta a televisão e a obrigação de ficar entre os quatro primeiros no Brasileiro para chegar à Libertadores. E domingo tem a vingança contra os selvagens. Vão pagar pelo que fizeram e pelo que não fizeram!!


::: Feliz 2008 pra vocês também :::

Nenhum comentário: