quarta-feira, junho 15, 2005

Sobre o amor e seus desvios - Parte I


Uma semente foi plantada em 15/11/04. As pretensões não existiam, exceto divertir as moças com as minhas piadas infames, politicamente incorretas, chulas, sem graça e sem sentido. (Acredite: funciona e elas gostam!!) As duas calouras, que têm um biotipo bem parecido, chegam vestidas exatamente com as mesmas peças de roupa, como se fossem gêmeas siamesas.

A mineira é mais recatada, enquanto a outra é mais despachada e fala com desenvoltura sobre todos os assuntos. Para quebrar o gelo, peço a identidade da calada moça das Alterosas, já pensando em fazer troça (Merda, não se faz rima em prosa! Mas vai ficar assim mesmo!). "Táia?! Isso é apelido para quê mesmo?!" O Professor irrompe numa gargalhada, engasgado e surpreso com a minha pergunta incoveniente e inoportuna.

Constrangida e ruborizada, ela responde: "Não é apelido não. É meu nome messsssssmo." com aquele doce sotaque de Minas. Apesar da insistência dela em dizer que, na verdade, provém de Volta Redonda, como se esta cidade não fizesse parte daquele estado. Pressionada, e ainda mais encabulada, ela responde sobre o significado do exótico nome: "É indígena, significa algo como: 'Ardente como pimenta'."

No fim, como bom cavalheiro que sou, decido levá-las (andando, para queimar as gorduras adquiridas no rodízio) até as suas respectivas casas. Tudo parte constante do programa: "Emagreça e Enrijeça com um MDH (Só para mulheres, bem entendido...)" Raquel acha que estou afim dela. Isso até poderia ser verdade, porque ela é linda, mas não é. De qualquer forma, fiquei honrado ao descobrir isso depois! Volto metade da Zona Norte e levo a outra apimentada menina. Papo vai, papo vem, e descubro que ela é surpreendentemente inteligente para uma caloura.

No portão do prédio dela, agradeço pelos elogios virtuais ocultos, num site de relacionamentos, e despeço-me com dois beijos no rosto. Um apressado poderia me criticar por não tê-la agarrado precisamente neste momento. Mas cabe a ressalva de que eu estava envolvido com outra pessoa naquela época, e como sempre, pensei que não valia a pena atropelar meus princípios em troca de uns beijos e uns amassos.

::: Continua... :::

Indiana é forçada a "casar" com sogro que a estuprou!

NOVA DÉLHI (Reuters) - Uma indiana, vítima de estupro, está sendo forçada pelos moradores mais velhos de seu vilarejo a casar com o estuprador, seu sogro, segundo informou um jornal nesta quarta-feira.

Lideranças comunitárias de Charthawal, que receberam apoio de clérigos muçulmanos, acreditam que os 10 anos de casamento dela acabaram sendo anulados devido ao estupro, sob leis islâmicas, informou o jornal The Asian Age.

Em uma reunião especial no domingo, líderes do vilarejo determinaram que a mulher, de 28 anos e mãe de cinco filhos, deixasse o marido, Noor Mohammed, para viver com os pais durante sete meses e 10 dias a fim de se tornar "pura" outra vez, disse o jornal. Não foram dados detalhes, no entanto, sobre como ela se tornaria pura novamente.

Depois disso, ela deve se "casar" como o sogro e viver com ele, junto com a mulher legal do homem. "Ela... será então como uma mãe de Noor Mohammed", afirmou o clérigo local Shamim Ahmad, segundo o jornal.

Os quatro irmãos da mulher concordaram com a decisão.

A polícia investiga o caso e disse que pretende prender o sogro. Os policiais não quiseram comentar a decisão dos líderes mais velhos, alegando que é uma questão religiosa delicada.
O vilarejo fica em Uttar Pradesh, um dos Estados mais pobres e mais populosos da Índia, com mais de 165 milhões de habitantes.

::: Essa nota é da Reuters. Já pensou se a moda pega por aqui?! E ainda tem gente que acredita em "evolução humana" e outras baboseiras :::